terça-feira, 31 de julho de 2018

TRT-RN leiloa imóveis, lancha, kombi e 5 mil litros de gasolina


Quinta-feira (2) é dia de oportunidade para quem está a procura de um bons negócios.

O Tribunal Regional do Trabalho da 21ª Região (TRT-RN) realiza um grande leilão de bens penhorados pelas Varas do Trabalho de Natal e do interior, a partir das 9h, no Hotel Majestic (Av. Engenheiro Roberto Freire, 3800).

O leilão será presidido pelo juiz Décio Teixeira de Carvalho, coordenador da Central de Apoio á Execução do TRT-RN.

Serão leiloados terrenos, casas, apartamentos, prédios e salas comerciais, além de veículos, móveis e material de construção, divididos em 34 lotes.

Um dos destaques é a garagem da Viação Nordeste, na esquina das avenidas Interventor Mário Câmara com Lima e Silva, avaliada em R$ 6 milhões e 392 mil, com lance inicial R$ 3,2 milhões.

Uma outra área de 95 mil metros quadrados, pertencente ao Alecrim Futebol Clube, em Macaíba e avaliado em R$ 2 milhões, terá lance mínimo de R$ 1 milhão.

Há, também, um apartamento no Bairro Latino, com 3 quartos, dependência de empregada e uma vaga de garagem com lance mínimo de R$ 100 mil e casas em Parnamirim, Assu e Ceará-mim.

Um lote de 19 revólveres calibre 38, penhorados de uma empresa de segurança privada para pagamento de dívidas também será leiloado com lance mínimo de R$ 17.100,00.

Também será leiloada uma lancha tipo Vantoce, RE 18 pés, motor Hoveroud, com lance mínimo de R$ 6.500,00, uma kombi 2008 com lance mínimo de R$ 8.500,00 e 5.069 litros de gasolina por um lance mínimo de R$ 6.500,00.

A lista completa dos itens que serão leiloados e o edital publicado pelo Tribunal podem ser acessados no endereço eletrônico: https://goo.gl/qceCw1

PF prende passageiro que embarcava armado no Aeroporto de São Gonçalo RN


Policiais federais prenderam na manhã desta terça-feira(31), no Aeroporto Internacional Aluízio Alves, em São Gonçalo do Amarante, Região Metropolitana de Natal, um funcionário de uma multinacional -(não informada pelo órgão), pernambucano, 34 anos, acusado de porte ilegal de arma de fogo.

O homem pretendia embarcar com destino a Goiânia, porém ao passar pela fiscalização de raios X foi detectado na esteira que ele conduzia na bagagem de mão, um revolver Cal. 22 e cerca de 20 munições.

Conduzido para as formalidades na sede da Polícia Federal em Lagoa Nova, o acusado alegou que a arma era utilizada para sua defesa pessoal, mas não apresentou qualquer documentação pertinente. Disse ainda que “esqueceu” o revólver e as munições na bolsa quando foi embarcar.

Ele foi autuado acusado do delito previsto no Art. 14 da Lei do Desarmamento.

Desconto de R$ 0,46 no diesel será mantido até 31 de dezembro


O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, confirmou nesta terça-feira, 31, que o governo vai manter o desconto total de R$ 0,46 no preço do litro do óleo diesel até o final do ano, como acordado durante a greve dos caminhoneiros. Apesar disso, Padilha admitiu que, na prática, o preço do diesel pode aumentar dependendo da variação no preço do mercado internacional nos próximos meses.

Padilha afirmou que o governo editará decreto até a próxima quarta-feira, 1, para renovar a subvenção ao preço do diesel a partir de agosto e manter o subsídio de R$ 0,30 por litro. O valor é o mesmo da medida baixada no início de junho e que vigora até esta terça-feira. Essa é a parcela do subsídio pelo qual o governo precisa ressarcir a Petrobrás e os demais fornecedores do combustível. A União reservou R$ 9,5 bilhões para bancar essa parte do pacote, que ficou conhecido como “bolsa caminhoneiro” após a greve no setor.

“O compromisso que o governo tinha com os caminhoneiros era manter o desconto de R$ 0,46 até 31 de dezembro de 2018. Portanto, vencido o primeiro período em que haverá revisão do preço, variações podem ser positivas ou negativas, e aí teremos o novo preço”, declarou Padilha em coletiva de imprensa durante cerimônia de comemoração dos 20 anos do Código de Trânsito Brasileiro, no Palácio do Planalto.

Padilha disse que “é óbvio” que, se no preço internacional variar, “pode haver aumento” no preço final do diesel no Brasil. Inicialmente, o acordo com os caminhoneiros previa que os aumentos ocorressem a cada 60 dias e depois passariam a ocorrer de 30 em 30 dias.